Este artigo foi escrito para contar um pouco da história do Lobismo, em comecoração aos 100 anos do ramo Lobinho,  celebrado em Dezembro de 2016.

Como surgiram os Lobinhos

Após fundar o Escotismo em 1907, Baden-Powell por mais de cinco anos enfrentou sérios problemas pelo fato de estar recebendo rapazes de 9 a 18 anos, e os mais novos não conseguiam acompanhar as atividades vigorosas dos jovens com mais idade e estes achavam muito chato, ficavam muito aborrecidos em praticar atividades de “crianças”.

Em certa ocasião, Baden-Powell comentou com sua amiga, a romancista, Vera Barclay que estava pensando em criar uma nova seção para os meninos mais novos. Tendo Vera afirmado ser uma ótima ideia e que assim, teriam atividades diferentes para duas faixas etárias distintas. BP solicitou sua ajuda para o seu novo projeto. Afirmando ele que as crianças menores gostavam e viviam fantasiando. Poderiam utilizar isto e transmitir o que almejavam a fim de que elas se tornassem melhores.

Mowgli e os lobinhos

mogliBP comentou com Vera sobre seu amigo, Rudyard Kipling, autor do “Livro das Selvas”, escrito há uns vinte anos atrás e combinou promover um encontro entre os três para verem a possibilidade de usar as Histórias do Livro como fundo de cena para a nova seção, dos meninos mais novos.

O encontro aconteceu, Vera Barclay e Rudyard Kipling foram apresentados e já foram direto ao assunto. Baden-Powell comentou com Vera que já havia apresentado o projeto da nova seção a Rudyard e a ideia de usar o seu livro como fundo de cena. Rudyard Kipling foi logo dizendo a Vera que se sentia muito honrado por utilizarem o seu livro em tão nobre causa. Vera ficou muito feliz e agradeceu se dizendo muito encantada em conhecer o tão famoso escritor do LIVRO DAS SELVAS.

Baden-Powell combinou que a nova seção seria chamada de Alcateia, as crianças seriam chamadas de Lobinhos e os escotistas de Bagheera, a pantera; Ballo, o urso, Kaa, a cobra; Hathi, o elefante. O chefe da Alcateia de Akela, o “Velho Lobo”.

Primeiras impressões de B.P. sobre o ramo lobinho

Após algum tempo em um novo encontro entre BP, Rudyard e Vera a conversa foi:

– Vera Barclay: Então Robert (Baden-Powell), o que achou do Manual?

– BP: Estou impressionado pelo seu trabalho Vera! Este Manual com toda certeza fará com que os nossos jovens se tornem melhores.

– Vera: Eles irão aprender pequenas coisas brincando para quando crescerem fazer grandes coisas a serio.

– Rudyard Kipling: Excelente! Excelente! Robert e Vera. O lançamento do Manual do Lobinho, nesta data, 02/12/1916, será lembrado mesmo daqui a cem anos. Nós não estaremos mais aqui, mas as nossas ideias sobreviverão e os escotistas estarão reunidos para comemorarem este momento histórico como o alvorecer de uma nova era para o escotismo, o nascimento do Ramo Lobinho!

E foi assim que em 02/12/1916 nasceu o Ramo Lobinho.

100 anos do ramo lobinho / lobismo

Fonte: UEB com anotações do Chefe Geraldo de Freitas

100 anos do ramo Lobinho

Desde o nascimento do ramo lobimho dentro do movimento escoteiro, pouco se alterou da metodologia adotada. Com o tempo houve a inclusão de outros personagens também do Livro da Selva, como o corajoso Rikki-Tiki-Tavi, e o perseverante Kotiki, que ampliam o universo lúdico do ramo Lobinho. Atualmente o movimento escoteiro internacional conta com mais de 21 milhões de participantes em todo o mundo em mais de 216 países (dados de 2012) e, aqui no Brasil, tudo começa no ramo Lobinho. Quanto mais cedo o jovem entrar no movimento, melhor para o seu desenvolvimento como pessoa e cidadão.
— Dionizio Bonfim Bach – Dirigente escoteiro no GESLG

“Melhor Possível”